Caminhos da Educação: o que tem sido educar e o que pode vir a ser…

“A estória do príncipe que virou sapo é a nossa própria estória. Desde que nascemos, continuamente, palavras nos vão sendo ditas. Elas entram em nosso corpo, e ele vai se transformando. Virando uma outra coisa, diferente da que era. Educação é isto: o processo pelo qual os nossos corpos vão ficando iguais às palavras que nos ensinam. Eu não sou eu: eu sou as palavras que os outros plantaram em mim.”

Como terapeuta e pesquisadora tenho constatado esta realidade. O processo de educação nos afasta de quem verdadeiramente somos. Nosso inconsciente é repleto de registros da cultura, da tradição, do modo de ser e agir daqueles que conviveram conosco, em especial na infância. Mas sinto que estamos começando a despertar para uma nova possibilidade. E se pudêssemos nos lembrar de quem verdadeiramente somos e ajudar as crianças a desenvolverem seu pleno potencial, a serem quem são? Com certeza daríamos um salto quântico no conceito de educação.

” Meu corpo é um corpo enfeitiçado: porque meu corpo aprendeu as palavras que lhe foram ditas, ele se esqueceu de outras que, agora, permanecem mal… ditas…”

Hoje sabemos,que as crianças até aproximadamente 6 anos de idade, possuem apenas ondas cerebrais mais baixas. As ondas beta, as ondas da consciência normal de vigília, ainda não foram ativadas em seu pleno potencial. Isto permite a elas apreender o mundo mais facilmente e rapidamente e também a imitar a visão de mundo dos adultos. Acontece que, com o passar do tempo, podem acreditar que esta é a visão delas próprias. Será que você foi enfeitiçado? Qual palavras “mal… ditas…” habitam seu inconsciente? Segundo os especialistas, temos duas mentes, uma consciente e criativa responsável por 5% de nossas escolhas. E outra inconsciente, nosso piloto automático, responsável por 95% de nossas escolhas. Você vive sua própria vida ou uma repetição infinita de padrões que foram gravados em seu inconsciente? Você já deve ter percebido que é um desafio mudar hábitos e se desfazer de crenças limitantes. Quantas metas para o ano novo são deixadas de lado logo no primeiro dia? Mas hoje temos instrumentos para limpar os registros desfavoráveis que o prendem a uma vida sem significado. Estes instrumentos dão a você a oportunidade de viver a sua vida criativa, ser o que veio ser e realizar seu propósito de vida.  Imagine uma educação onde não somos preparados apenas para servir ao sistema vigente, mas que nos prepare para ser quem verdadeiramente somos? Chega de feitiços e de uma educação que nos afasta e afasta nossos filhos de quem são de verdade.

“Procuro despir-me do que aprendi”, dizia Alberto Caeiro. “Procuro esquecer-me do modo de lembrar que me ensinaram, e raspar a tinta com que me pintaram os sentidos, desencaixotar minhas emoções verdadeiras, desembrulhar-me, e ser eu…”

E é por isto que proponho espaços terapêuticos dentro das escolas. Um processo puramente pedagógico não da conta dos desafios complexos da transformação. Um processo pedagógico informa o que precisa ser transformado, um processo terapêutico habilita a viver a transformação. Todo educador, seja ele pai, mãe, tio, professor tem o potencial de um terapeuta. Quando acolhemos nossas crianças é o terapeuta em nós em ação. Acontece que muitos ainda não sabem como lidar com seu mundo interior e por isto não podem ampara este aprendizado. Tenho visto isto em ação inúmeras mães que atendo. Geralmente me procuram para que eu atenda seus filhos. Quando lhes digo que ela é que precisam relembrar quem verdadeiramente são o silêncio se faz. Toda uma lógica cartesiana cai por terra. E conforme elas vão se lembrando de quem são, do que vieram realizar e passam a usar seu pode de co-criação de forma consciente tudo se transforma. E o que mais me emociona e me alegra é que as crianças ficam mais livres para fazerem o mesmo. Escuto relatos do tipo: o meu filho está mais carinhoso, já não briga para tomar banho e escovar os dentes, está mais seguro, etc… E elas entendem finalmente que é o adulto que precisa abraçar em primeiro lugar a própria transformação.

“Uma bela imagem para um mestre! Uma bela imagem para o educador: fazer esquecer para fazer lembrar!”

Sonho com o dia em que espaços terapêuticos estejam disponíveis para toda a comunidade escolar, no mundo todo. Para que isto se torne realidade será o próximo passo da pesquisa científica do Criança Quântica. Mas enquanto isto não acontece, abrace seu processo de transformação e transforme tudo a sua volta. As crianças e o mundo agradecem.

Seja bem-vindo ao mundo das infinitas possibilidades!

Para saber mais a respeito do Atendimento Personalizado clique no link abaixo:         http://criancaquantica.com/atendimento-personalizado-2/

Citações: Rubem Alves em A alegria de ensinar. Editora Papirus, páginas 35 e 37. Disponível no site: https://goo.gl/QZkGKg

 

Deixe seu comentário

Comentar

0 comments on “Caminhos da Educação: o que tem sido educar e o que pode vir a ser…Add yours →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *